Sábado, 18 de Setembro de 2021 17:36
(45)99934-2671
Política CORBELIA

Vereadores contrariam o TCE e aprovam as contas de Eliezer

O Legislativo aprovou as contas de 2009 2011 e 2012 em uma única sessão

19/07/2021 09h34
171
Por: Carlos Zaffari
divulgação
divulgação

 

Da Sucursal

Câmara de Vereadores de Corbélia aprovou as contas do ex-prefeito, Eliezer Fontana, relativas aos exercícios de 2009, 2011 e 2012. Foi durante sessão ordinária realizada na segunda-feira (12). As votações ocorreram de forma idêntica nas três análises. Foram oito votos favoráveis e três, contrários. A favor da aprovação votaram:  Claudino de Lara, Volmir Reis, Eli Stefanello, Paulo Zaquette, Emanuel Huff, Marcos Jandrey, Maycon André e Marily Bloemer. Paulo Cardoso, Francisco Rossoni Neto e Nei Palvels, votaram contra.

Com os resultados a Câmara de Corbélia reforma as decisões que tinham sido dadas durante os pareceres do Tribunal de Corbélia – A

Contas do Estado do Paraná (TCE-PR). O colegiado do Tribunal optou pela desaprovação das contas dos três exercícios, mas a decisão soberana é da Câmara de vereadores. A lei estabelece que para reformar uma decisão do Tribunal de Contas são necessários dois terços dos votos do Legislativo. Como em Corbélia são 11 vereadores eram necessários pelo menos oito votos favoráveis e foi exatamente este o resultado.

Eliezer acompanhou as votações e antes da votação de cada novo projeto, fez defesa oral na tribuna do Legislativo. Saiu da sessão demonstrando estar de alma lavada. Em cada defesa que fez, Eliezer procurou mostrar que sempre agiu com rigor no trato da coisa pública. Essa veemência já tinha sido demonstrada quando foi chamado para apresentar defesa junto ao Tribunal de Contas do Paraná. Aliás, parte das argumentações de Eliezer já tinha sido derrubada no próprio Tribunal.

Entre os itens que estavam sendo questionados, consta a falta de aplicação do índice mínimo de 25% na educação básica e falta de aplicação de, no mínimo, 60% dos recursos do Fundeb para o pagamento de remuneração do magistério. O prefeito também era acusado de ocasionar déficit financeiro nas contas públicas.

Em sua defesa Eliezer mostrou documentos que comprovam que ele aplicou 26,2% no ensino básico e 63,4% dos recursos do Fundeb no pagamento do magistério. Na Câmara de Vereadores, a comissão de Economia, Finanças e Orçamento, que avaliou o balanço, expediu parecer pela aprovação das contas. “Aqui está se fazendo justiça. O nosso governo foi de austeridade e de sensibilidade com a nossa gente. Sempre trabalhei para o desenvolvimento de nossa cidade”, desabafou Eliezer na saída da sessão.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.